ÁFRICA DO SUL ENTRE O SONHO E A REALIDADE

SOCCER CITY

Terminou mais uma Copa do Mundo. A África do Sul viveu 40 dias de sonho. Agora é voltar à realidade e reencontrar-se com o cotidiano. Cerca 3,5 milhões de trabalhadores certamente ficaram sem trabalho, ou voltaram a ficar sem trabalho. As diferenças sociais gigantescas entre ricos brancos e pobres negros continuarão como dantes. Cinco estádios gigantes e maravilhosos ficarão semi- abandonados. Cerca de 3,2 bilhões de dólares foram gasto só na construção e/ou reforma dos estádios.
O problema de transportes coletivos não foi resolvido, nem de longe. Houve apenas uma grande preocupação com o transporte e acomodação de turistas. Para a população local quase nada mudou.
O país é depois da Índia o segundo com o maior número de infectados com o vírus da AIDS, cerca 5,5 milhões de pessoas, 11% da população total. Apesar disso é um país que possui um dos índices mais elevados de estupros no mundo, segundo estatística 2004/2005 era de 118,3 para cada 100.000 habitantes, ou seja cerca de 55.000 estupros por ano.
Relatório de 2006 apontava que o índice de expectativa de vida da população sul africana era de 50,9 anos.
Os índices de desemprego, analfabetismo, miséria são altíssimos, mas aí estão erguidos os gigantescos e belíssimos estádios.
Em 2014 será a vez do Brasil. Será que o país vai enfrentar a sua realidade para transformá-la ou vai simplesmente passar a maquiagem para mostrar uma grandeza que existirá apenas em volta dos estádios, para turista ver.
Não nos iludamos. Uma nação é o seu povo e o resultado de seu trabalho. E esse trabalho só trás benefícios se cada camada da sociedade receber o justo valor que lhe cabe.
12 de julho - a volta à realidade em Joanesburgo

Parabéns África do Sul pelos seus belos estádios.
Postar um comentário