GRACIAS MERCEDES


Quantos de nós não tivemos a juventude embalada pelo canto forte e preciso de Mercedes Sosa. La Negra “se fue” aos 74 anos. Mercedes nasceu no dia e mês do aniversário da independência de seu país, 09 de Julho, de 1935. Talvez seja uma das razões de haver incorporado à sua vida os princípios de liberdade e igualdade pelos quais lutou “toda la vida”.
Mercedes é sempre lembrada pela sua luta intransigente contra qualquer tipo de ditadura e a sua arma era a música e a poesia:
"Na realidade, eu nasci para cantar. Minha vida está dedicada a cantar, a buscar canções e a cantá-las", afirmou em uma entrevista em 2005. "Se entrasse em política, teria que descuidar do mais importante para mim, que é o folclore."
"Quando gravamos uma canção com Fito Paez para o 'Cantoras', ela começou a chorar. Nós três terminamos chorando sem saber por quê. Quando perguntei porque chorávamos, ela respondeu: 'porque estamos a cantar'. Era de uma sensibilidade a flor da pele", revela a intérprete Liliana Herrero.
As letras de Mercedes são de uma beleza e de um sentimento impressionantes são poemas de primeira grandeza que ao receberem a música na voz de Mercedes se tornam obras que serão lembradas para sempre, pois como já disse aqui em artigo anterior a boa música é eterna, Mercedes é portanto eterna: uma deusa eterna.
Valeu Mercedes
Bernardo

Como um pájaro libre
Mercedes Sosa

Como un pájaro libre de libre vuelo,
Como un pájaro libre así te quiero.
9 meses te tuve creciendo dentro
Y aún sigues creciendo y descubriendo
Descubriendo, aprendiendo a ser un hombre
No hay nada de la vida que no te asombre
Como un pájaro libre ...
Cada minuto tuyo lo vivo y muero
Cuando no estás mi hijo como te espero
Pues el miedo, un gusano, me roe y come
Apenas abro un diario busco tu nombre
Como un pájaro libre ...
Muero todos los días, pero te digo
No hay que andar tras la vida como un mendigo
El mundo está en ti mismo, debes cambiarlo
Cada vez el camino es menos largo
Como un pájaro libre ...


Postar um comentário