NOVO MAPA DA ANTARTIDA REVELA O QUE HÁ DEBAIXO DO GELO


A Antártida mapeada pelo BedMap 2 - sem gelo para mostrar a superfície original.
 
Em seus tempos de esplendor a Antártida estava coberta de bosques frondosos, contava com uma rica fauna e até chegou a desfrutar de um clima tropical. Tudo isso começou a mudar a uns 400 milhões de anos. O gelo foi ganhando espaço, até tornar a Antártida o que é hoje.

Um novo e mais preciso conjunto de dados sobre a topografia oculta da Antártida, sobre o terreno que está oculto sob uma capa de gelo que em algumas regiões supera os 3 km de espessura, revela detalhes fascinantes dessas terras que estão ocultas para o Ser Humano desde o inicio de sua historia como espécie.

Uma paisagem completa de montanhas, colinas, planícies onduladas, vales e depressões profundas.

Esse é o Bedmap2, que fornece uma idéia mais clara e precisa da superfície do continente antártico e que foi desenvolvido por cientistas da British Antartic Survey (BAS).

Isso dá uma compreensão mais detalhada do que está por baixo da maior camada de gelo do mundo, avança nossa compreensão do ambiente subglacial e será de grande ajuda para futuras pesquisas sobre a camada de gelo da Antártica.

Com os primeiros dados do mapa, em 8 de março, os cientistas revelaram que o volume de gelo na Antártida é 4,6% maior do que se pensava antes. A profundidade média do leito da Antártida foi calculada em 95 metros, o que é 60 metros menos do que calculado anteriormente. Verificou-se também que o volume de gelo submerso abaixo do nível do mar é 23 % maior do que o estimado e que o ponto mais profundo que está sob a geleira de Byrd, tem cerca de 400 metros de profundidade.

Para desenvolver o mapa, os pesquisadores recopilaram medições geofísicas, como cálculos de elevação da superfície do gelo com dados da NASA, níveis de elevação da Terra com o satélite IceSat e dados da espessura do gelo com a Operação IceBridge.
Mapa onde se diferenciam as elevações de terreno em cores distintas.
 
Postar um comentário