ANIMAIS EM EXTINÇÃO QUE ESTÃO REVERTENDO O JOGO

"Primeiro foi necessário civilizar o homem em relação ao próprio homem. Agora é necessário civilizar o homem em relação a natureza e aos animais."

O homem está conseguindo consertar alguns de seus erros, salvando vários animais da extinção. No Brasil, a quantidade de animais ameaçados de extinção só aumentou porque ampliamos o nosso radar. Muitos deixaram essa lista.


JACARÉ-DE-PAPO-AMARELO

1980 eram 2000
2007 já são 20000

Problema: Vítima da destruição da Mata Atlântica.
Solução: Em parte preservou-se sozinho, fugindo para longe do litoral. E surgiram vários criadouros como o de Maceió com 5800 animais.


MICO-LEÃO-DOURADO

1992 eram 272
2007 já são 1200

Problema: Outra vítima da destruição da Mata Atlântica e também da caça para alimentar população rural.
Solução: Reservas maiores, que prevejam o seu deslocamento. A meta é até 2025
ter 2 mil animais em liberdade.


VEADO CAMPEIRO

1980 restavam apenas 100
2005 já haviam 10.000

Problema: É uma das sete espécies de cervídeos existentes no Brasil. Caçado por espalhar febre aftosa, era na realidade vítima dela. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente - mostra que a caça e o desmatamento do segundo maior ecossistema brasileiro, o cerrado.
Embora protegido por leis, o veado-campeiro vai escasseando nos campos brasileiros, onde era tão abundante algumas décadas atrás. O principal motivo não está na deficiência das leis, mas na dificuldade de aplicá-las na repressão à caça clandestina.
Solução: Depois que recebeu um espaço especial no parque Nacional das Emas (GO) outros estados seguiram o exemplo.

PELO MUNDO


FALCÃO DE MAURÍCIO

1975 restavam apenas 6
2006 já eram 1000

Problema: As florestas naturais da Ilha Maurício que originalmente cobriam 170 mil hectares, hoje cobrem apenas 5 mil. Também as espécies invasoras contribuíram para dizimar a espécie.
Solução: Um pesquisador pôs um casal para cruzar em cativeiro, aumentou a fertilidade da fêmea e ainda importou falcões europeus para ajudar a chocar ovos.


ELEFANTE AFRICANO

1970 eram 100 mil
2008 eram 678 mil

Problema: é o maior mamífero terrestre do planeta, no entanto, contrariamente a épocas como o Pleistoceno, não se encontra em todos os continentes. Uma das particularidades dos elefantes, nomeadamente, dos africanos, é que têm um estilo de vida matriarcal, sendo a fêmea mais velha que lidera a manada. A caça predatória para extração do marfim de suas presas e a redução de seu habitat reduzem a espécie.
Solução: Proibição do comércio de marfim em vários países além de muitas campanhas de preservação.


BÚFALO AMERICANO

1890 restavam apenas 750
2008 são 500 mil

Problema: a dizimação durante a conquista do oeste americano
Solução: Foram criadas reservas para os remanecentes, mas a ameaça só foi realmente afastada quando se adotou a criação intensiva em cativeiro.


CONDOR DA CALIFORNIA

1987 restavam apenas 27
2008 eram 223

Problema: Ocupação de seu habitat e poluição.
Solução: As aves tiveram que ser capturadas para reprodução em cativeiro. A população ainda pequena é, aos poucos, devolvida à natureza.


URSO PANDA

1980 eram 1400
2004 eram 2500

Problema: Seu habitat, a selva de bambu, foi devastada com a urbanização acelerada da China.
Solução: A ong WWF criou projetos para ensinar a população a conviver com a espécie sem ameaçá-la.
Postar um comentário