A DESCOBERTA DE ÁGUA EM MARTE



Confirmado. O Diretor de ciência planetária da NASA, Jim Green, anunciou numa coletiva de imprensa e publicou na revista Nature Geoscience que existem evidências de água salgada em Marte e que essa líquido é o responsável pelos sulcos lineares descobertos nos declives das crateras durante as estações mais quentes do planeta. Esta água líquida sob a superfície aumenta as possibilidades do planeta ter alguma forma de vida.
A descoberta foi possível graças as imagens da sonda MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) que utiliza um instrumento chamado CRISM, um espectrômetro de imagem que permite identificar tanto os minerais como outros tipos de compostos da superfície marciana. Os resultados revelaram evidências de sais hidratados em quatro lugares diferentes de Marte. Esses lugares conhecidos como Sulcos lineares (RSL, linhas de inclinação) que medem uns 5 metros de largura e que são estudados a anos, se devem à atividade da água salgada, confirmam os especialistas.
Fluxo da água
A cada verão marciano surgem esses misteriosos fluxos lineares, quando as temperaturas estão na casa dos 20 graus negativos, que parecem avançar pelas encostas nas latitudes médias do hemisfério sul; esses sulcos desaparecem ao chegar o frio. Os dados recentes indicam que o fato de que essas rachaduras não permanecem durante todo o ano marciano é uma evidência de um fluxo de água líquida que graças às temperaturas mais quentes, se estende costa abaixo através das colinas e ladeiras. Quando chegam as estações frias desaparecem.
Graças aos dados espectrométricos de CRISM, uma equipe de cientistas do Instituto de Tecnologia da Geórgia (EUA) confirmou a presença de sais hidratados como percloratos e cloratos muito abundantes nesse planeta (até 10.000 vezes mais que na Terra) e que reduzem o ponto de congelamento da água de  O a – 70 graus Celsius circunstancia que torna possível a água líquida.
Em geral, na superfície de Marte as condições são muito hostis para a vida (especialmente devido a radiação UV) mas estes novos dados sobre a existência de água líquida subsuperficial indicam que a habitabilidade é muito mais favorável no subsolo marciano que é onde deverá se concentrar os esforços futuros na busca de vida.

Postar um comentário