Encontrada uma "Super-Terra em um sistema planetário que pode ser apropriado para ter vida



Concepção artística da "Super-Terra", o planeta HD40307g
 
Uma equipe internacional de astrônomos descobriu uma super-Terra (nome dado aos planetas maiores do que a nossa), que pode ser adequada para abrigar vida, devido ao seu clima. Este planeta orbita uma estrela e é parte de um sistema constituído por seis planetas.

A descoberta foi feita usando dados do espectrógrafo Harps, do ESO (Observatório Europeu do Sul), o mais preciso do mundo para buscar planetas extrassolares.

O autor principal  do trabalho, Mikko Tuomi, disse que, a princípio, acreditava-se que o sistema tinha três planetas em órbitas muito próximas da estrela e que podiam conter água líquida. Ele estava estudando esses corpos, quando se descobriu que havia mais candidatos para abrigar vida em planetas do mesmo sistema.

"Fomos pioneiros em novas técnicas de análise de dados, incluindo o uso de comprimentos de onda como um filtro para reduzir a influência da atividade do sinal da estrela. Isto aumentou significativamente a sensibilidade e permitiu revelar os três novos planetas ao redor do Sol conhecido como HD 40307 ", disse Tuomi.

A estrela que o novo planeta orbita, designada HD 40307, é parecida com o Sol, mas um pouco menor e mais fria (cerca de 70% da massa solar), a 44 anos-luz da Terra (um ano-luz equivale a 9,5 trilhões de quilômetros).

Para os pesquisadores, dos três novos planetas encontrados, o mais interessante é o que tem a órbita mais externa da estrela. Tem uma massa sete vezes maior que a Terra e sua órbita está a uma distância semelhante à órbita da Terra em torno do Sol, por isso recebe uma quantidade similar de energia e, portanto, tem o potencial de ser habitável. Ele completa sua órbita (um ano naquele mundo) em 200 dias terrestres. Como a estrela é um pouco menos brilhante que nosso Sol, ele está na posição certa para ter água em estado líquido na superfície e tem um ambiente estável para suportar vida. Da mesma forma, têm apontado que "é provável que o planeta orbite sobre seu eixo, a medida que orbita em torno de seu Sol tendo portanto o ciclo dia/noite  como tem a Terra" "Não há melhor maneira de criar um ambiente semelhante ao da Terra", disse Tuomi.

Embora no início deste ano a nave espacial Kepler descobriu um planeta com uma órbita semelhante, os autores do estudo, publicado na Astronomy & Astrophysics, têm apontado que este, chamado Kepler 22-D, está a 600 anos-luz da Terra, enquanto o novo Super-Terra, conhecido como HD 40307g, está muito mais próxima, aproximadamente a 44 anos-luz da Terra.

"Descobertas como esta são realmente emocionantes, e esses sistemas são alvos naturais para a próxima geração de grandes telescópios, tanto em terra como no espaço", concluiu Tuomi
Postar um comentário