MOSTRANDO VERDADES AOS LIDERES DA CUPULA DO CLIMA NA ONU.


 
"Quando o poder conduz o homem à arrogância, a poesia lembra de suas limitações", proclamou John F. Kennedy. "Quando o poder estreita as áreas de interesse do homem, a poesia lembra-o da riqueza e da diversidade de sua existência. Quando o poder corrompe, a poesia limpa."

Kathy Jetnil-Kijiner, uma poetisa de 26 anos de idade, de Ilhas Marshall, demonstrou recentemente o impacto que um poema pode ter. Ela falou durante o segmento de abertura da Cúpula do Clima das Nações Unidas para 2014 esta semana. Em um artigo intitulado "Querida Matafele Peinem", (sua filha) ela conseguiu capturar a dura realidade da mudança climática: "Para enfrentar (alterações climáticas), precisamos de uma mudança radical de curso," Jetnil-Kijiner explica. "Isto não é fácil, eu sei. Significa acabar com a poluição de carbono dentro de minha vida. Significa apoiar aqueles de nós mais afetados para se preparar para os impactos climáticos inevitáveis​​. E isso significa assumir a responsabilidade pela perda irreversível e os danos causados ​​pelas emissões de gases de efeito estufa ".

"Peço a todos os líderes mundiais para nos levar junto em sua viagem", acrescentou. Nós vamos ajudá-lo a vencer a corrida mais importante de todas. A corrida para salvar a humanidade."

Jetnil-Kijiner é uma falada artista e co-fundadora de uma ONG ambiental nas Ilhas Marshall chamados Jo-JiKuM. A organização se concentra em capacitar os jovens, educando-os sobre a importância do ambientalismo e mobilizando-os para trabalhar em busca de soluções para as questões de mudanças climáticas. Ela foi uma das 38 representantes da sociedade civil escolhidos para apresentar na Cúpula.

Uma parte do poema de Jetnil-Kijiner:

mãos para fora, levantando os punhos, banners desfraldando, megafones crescendo
e nós somos canoas bloqueando navios de carvão
nós somos o brilho de aldeias solares
nós somos o rico solo limpo do passado do agricultor
nós somos petições florescendo da ponta dos dedos adolescentes
nós somos famílias, reciclagem, reutilização, engenheiros, sonho, concepção, construção, artistas pintura, dança, escrita
estamos espalhando a palavra
e há milhares nas ruas, marchando, com sinais de mãos dadas
cantando pela mudança agora


Leonardo DiCaprio faz apelo a líderes globais na Cúpula do Clima

“Como ator, meu trabalho é fingir. Interpreto personagens fictícios, que muitas vezes precisam resolver problemas fictícios”, comentou DiCaprio. “Eu acredito que a humanidade tem olhado para as mudanças climáticas da mesma forma – como se fosse uma ficção, como se fingindo que a mudança climática não é real faria, de alguma forma, o problema ir embora. Mas acredito que muita gente pensa diferente agora”, afirmou.

Secas intensas, acidificação dos oceanos, aumento do número de eventos extremos do clima, derretimento de geleiras... “Nada disso é retórica. Nada disso é histeria. É fato”, concluiu.

Segundo DiCaprio, é urgente tomar medidas agora. “Não se trata apenas de pedir às pessoas que troquem lâmpadas ou comprem carros híbridos. Esse desastre já cresceu além das escolhas que os indivíduos fazem. Agora, dependemos de indústrias e governos ao redor do mundo tomarem ações decisivas e em grande escala. Este deve ser nosso momento de agir”, falou.
Postar um comentário