12 DE NOVEMBRO - ROBÔ PHILAE POUSARÁ NO COMETA 67P


Está marcada para o próximo dia 12 de novembro a missão que pode ser um feito inédito para o homem no espaço.
Nesta data, a agência espacial da Europa tentará pousar o robô Philae no cometa 67p.
Se conseguir, será a primeira vez que uma sonda aterrisará nestes corpos congelados.
O robô Philae será ejetado da espaçonave Rosetta em direção ao cometa 67P/Churyumov, que tem 4 km de largura, na manhã do dia 12.
O local escolhido para o pouso é uma das extremidades do cometa, que tem a forma parecida com a de um pato de brinquedo.
A espaçonave estará a 509 milhões de quilômetros da Terra neste momento.
Será o ponto alto de uma missão que começou há quase uma década.
Experimentos
Espera-se que a descida da sonda até o cometa, que estará a 20 km de distância  de Rosetta, leve em torno de sete horas.
Meia hora depois, os cientistas saberão se a missão foi bem-sucedida ou não.
Existe o risco da sonda simplesmente "quicar" na superfície do cometa, que tem muito pouca gravidade.
Para evitar isso, serão usados parafusos e arpões para que o robô seja capaz de se fixar.
Se o robô conseguir aterrissar na superfície do cometa, será dado início da uma série de experimentos para analisar sua composição e estrutura.
Os dados e imagens coletados serão enviados para a espaçonave, de onde serão retransmitidos para a Terra.
Cientistas acreditam que cometas contém matéria ainda intacta da formação do Sistema
Solar, há 4,5 bilhões de anos.
PHILAE tem nove ferramentas como analisadores de gás, câmeras panorâmicas e sondas para analisar as ondas de rádio a partir do núcleo, vai passar entre um e dois meses  fotografando e recolhendo amostras a serem analisadas juntamente com a sua matriz a sonda Rosetta que permanecerá orbitando o cometa.

Quando os painéis solares ficarem cobertos de poeira, Philae vai parar de trabalhar. Mas a sonda Rosetta irá orbitar em torno do cometa e coletar dados por pelo menos mais um ano. Este complexo possui dez instrumentos científicos, incluindo o telescópio ALICE projetado para capturar faixa ultravioleta eletromagnética, a câmara OSIRIS, e vários espectrômetros de massa equipados para analisar a poeira e atmosfera do cometa.

67P / Churyumov-Gerasimenko fará sua passagem mais próxima do Sol em agosto de 2015 com  Rosetta orbitando ao seu redor e coletando dados. "Pela primeira vez, vamos ser capazes de analisar um cometa durante um longo período de tempo" e que vai nos dar "uma visão do papel que "um cometa desempenha no sistema solar", resume Matt Taylor cientista envolvido em uma missão que a Espanha é responsável por 7%, através de empresas como a Alcatel Space, a Astrium Crisa, GMV, GTD, SENER e Tecnologia.

SONDA ROSETTA que transporta o módulo PHILAE que deverá pousar no cometa 67p dia 12 de novembro

Postar um comentário