MISSÃO ESPACIAL - O PROGRAMA AURORA



Planeta Marte - Ao centro a cratera Schiaparelli
A sonda ExoMars (oficialmente ExoMars Trace Gas Orbiter) é uma missão não tripulada da Agência Espacial Européia (ESA) em parceria com a Agencia Espacial Russa (Roscosmo), destinada a explorar o planeta Marte. É a primeira missão do assim denominado Programa Aurora.
Esta missão tem um orbitador de Marte (TGO) e um módulo de descida com um veículo explorador chamado Schiaparelli EDM. Ou seja, o orbitador deverá ser capaz de chegar a Marte e se colocar em órbita e de lançar um módulo de descida. O módulo é denominado Schiaparelli em homenagem a Giovanni Virginio Schiaparelli, um astrônomo italiano, (1835-1910) que (inadvertidamente) popularizou a falsa idéia de canais artificiais na superfície de Marte. Foi o primeiro a criar um mapa daquele planeta. Schiaparelli também é o nome que foi dado a uma grande cratera de 461 km de extensão na superfície marciana.
Módulo de aterrizagem Schiaparelli

O módulo deverá pousar na superfície de Marte dia 19 de outubro para validar a tecnologia de aterrissagem para a segunda e mais complexa parte do programa, ExoMars 2018. Esse é um módulo de 600 Kg que atravessará a atmosfera marciana, se desprenderá de seus escudos de proteção e pousará na superfície de maneira controlada, ajudado por um pára-quedas e um sistema de propulsão líquida.Se conseguir pousar com sucesso em solo marciano e enviar informação aos centros de controle terrestre, Schiaparelli validará parte da complexa tecnologia de aterrissagem, que servirá para que a missão ExoMars 2018 mande a Marte um veículo "rover" capaz de se deslocar vários quilômetros e de escavar até dois metros sob terra para coletar e analisar mostras.Schiaparelli terá uma vida útil de entre dois e oito dias marcianos (um dia marciano tem 24 horas e 37 minutos) e seu blecaute marcará o início da missão de seu companheiro de viagem, o TGO. Esse orbitador sobrevoará Marte a 400 quilômetros de altitude durante quatro anos, com o objetivo de estudar a presença de metano e outros gases na atmosfera marciana, esclarecer se sua origem é geoquímica, vulcânica ou biológica e quais são suas fontes de emissão.O TGO se dedicará também a elaborar mapas do hidrogênio presente no subsolo de Marte "que podem ajudar a escolher os lugares de aterrissagem de futuras missões, pois podem indicar reservas ocultas de gelo de água", explicaram os responsáveis da ESA.
Sonda EXOMARS (TGO)




Postar um comentário