PLANETA AMEAÇADO - PARQUE NACIONAL DE VIRUNGA (CONGO)

Gorila morto por criminosos no Virunga
Somente uns 880 gorilas da Montanha permanecem em estado selvagem, cerca de 200 deles no Parque Nacional de Virunga, na República do Congo. Embora estejam criticamente ameaçados de extinção, são a única espécie de grandes primatas cujas populações estão aumentando, graças a grandes esforços de conservação. Os Gorilas de Montanha estão entre as 218 espécies de mamíferos encontrados em Virunga, junto com 706 de aves, 109 de répteis, 78 de anfíbios e mais de 2.000 de plantas.
Há cerca de 9 milhões de anos que um grupo de primatas evoluiu, se separando do ancestral comum entre humanos e chimpanzés e formando o gênero Gorilla. A frágil estabilidade desses primatas no Parque Nacional de Virunga está ameaçada. O problema é que foram feitas concessões a petroleiras em 85% do parque, pondo em risco o futuro a longo prazo destas populações. As perfurações em busca de petróleo podem degradar habitats fazendo com que o parque perca seu estado de proteção e deixe de  figurar como Patrimônio da Humanidade, o que aumentaria cada vez mais a vulnerabilidade da vida silvestre.
Os moradores que se opuseram ao projeto foram espancados por soldados. Um funcionário do parque foi seqüestrado e torturado após tentar impedir a companhia petrolífera, chamada Soco International, de construir uma torre de telefonia celular dentro da reserva. Um diretor do Virunga, um príncipe belga, Emmanuel de Merode, 44 anos, foi baleado e quase morreu horas depois de entregar um relatório sobre as atividades da empresa de petróleo.
O conflito envolvendo a exploração de petróleo em parques africanos é um dilema comum. Novas tecnologias, como as que permitem prospecções mais profundas, resultaram em recentes descobertas energéticas no leste da África. Com isso, as companhias petrolíferas vêm se instalando ao redor de vários parques nacionais africanos. Entre eles, o Virunga, que abriga uma biodiversidade criticamente ameaçada que inclui os últimos espécimes dos colossais gorilas das montanhas.
Mas o "desenvolvimento econômico" é mais do que um simples jargão da moda por aqui.
As pessoas da República Democrática do Congo, da Tanzânia, do norte do Quênia, de Uganda e de Moçambique -lugares onde houve recentes descobertas de gás e petróleo- estão entre as mais pobres do mundo.
O Virunga é considerado um dos pedaços do planeta com maior biodiversidade. Suas savanas de gramíneas amarelas, imponentes vulcões com lava borbulhante, selvas, pântanos e florestas imersas em nuvens constituem um mundo extraordinário para gorilas, elefantes, leões e chimpanzés.
Além disso, o lago Edward, onde supostamente fica o petróleo no Virunga, é parte das nascentes do Nilo. Um vazamento de petróleo ali poderia contaminar a água da qual dezenas de milhões ou mesmo centenas de milhões de pessoas dependem. "Qualquer toxina daqui poderia fluir até o Mediterrâneo", disse Emmanuel de Merode, diretor do Virunga. "Isso poderia chegar até a Espanha."
De Merode rotineiramente confronta rebeldes, caçadores e outros bandidos que se escondem no Virunga, na fronteira com Ruanda e Uganda, epicentro de várias guerras recentes. Em abril, ele voltava de carro da cidade congolesa de Goma, onde havia acabado de entregar um relatório confidencial a promotores públicos sobre supostas atividades petrolíferas ilegais no Virunga, quando um grupo de homens fardados saiu dos arbustos e apontou seus rifles. "Você já foi baleado?", perguntou De Merode, descrevendo a emboscada. "É como perder o fôlego. Mas não derruba, como nos filmes."
Gorila de 4 meses cuja mãe foi morta é socorrido por funcionários do Virunga



Postar um comentário